Fofuras da Kah

Um tanto quanto ensolaradas, um tanto quanto sonolentas e uma pitada de preguiçosas, aham pode apostar que sim, as fotos de hoje vieram embaladas no friozinho da 7 da manhã e no solzinho simpático que tá fazendo por aqui. Acordei hoje as 4 da manhã (aveee) ligada nos 220 e com uma vontade loka de fazer algumas fotos nessa vibe “acabei de cair da cama”- quase que literalmente já que fotografei no chão como de costume haha. Então cá estou eu resenhando de leve esse novo baby que veio parar na biblioteca aqui de casa! Se você nunca ouviu falar nesse tal de Vilgo, calma sem crise que eu já te explico!

Olha confesso: ainda não li. Na verdade foi uma aquisição muito recente haha! Tava rolando uma feira de livros no shopping de PG no domingo, e achei esse chuchu por 10 mambos! Achei uma pechincha uma coleção dessa por tão pouco, que eu como colecionadora ávida de livros resolvi investir! hehe mas colei aqui em baixo o que eu achei na senhora uéb:

“Filho de militantes anarquistas, o cineasta francês Jean Vigo (1905 -1934) passou a infância entre comícios, assembleias e prisões do pai. Apesar da breve carreira, dirigiu filmes que marcaram o cinema francês e mundial, transitando entre a vanguarda francesa e o realismo poético. O livro Jean Vigo trata da estreita relação entre vida e obra marcadas pelo comprometimento social e pelo livre espírito criador. O livroVigo, vulgo Almereyda entrelaça a narração da vida de Jean Vigo com a de seu pai, o revolucionário Miguel Almereyda (1883-1917). Os DVDs trazem a filmografia completa do diretor, making ofs, entrevistas com seus amigos e colaboradores, além de depoimentos de Antonio Candido, Ismail Xavier, Lygia Fagundes Telles, Eric Rohmer, François Truffaut e outros.”

Esse é um daqueles livros que como o Jonny falaria “precisa ter paciência pra ler”. Eu particularmente gosto bastante desse tipo de leitura que tá mais “presa no âmbito social”, não é lá das leituras mais fáceis, mas que tem um cunho cultural brabo! Prometo que assim que eu terminar Neve na amanhã da cidade (ó indicação babadeira viu?) eu tiro um tempo para ler esses dois chuchus e resenhar eles com calma e propriedade, pode ser?

 

Comentário aleatório: não sei como uma edição tão bonita e tão bem feita pode ter custado só 10 reais! Sério cara, eu não consigo lidar com o fato de ter custado tão barato! É quase uma ofensa ao Paulo gente! Claro que eu amei que foi um daqueles achados  bbb (barato, bafônico e bonito) até porque estou economizando money para NY (hehe em breve conto mais), mas mesmo assim galera, como pode?

Uma coisa que posso dizer com propriedade é que as fotografias desse livro são incríveis! Daquelas que te fazem voltar e parar no tempo! Mal posso esperar para assistir aos DVDs que vieram junto (yeaph vieram dois dvds com fotografias e vídeos, bastidores e comentários da “coisa toda”), só preciso arrumar agora um note com entrada haha!

 

Só eu que achei que eu fiquei uma reprodução moderninha da obra Tamawuj da Tarsila do Amaral? haha que tal??

 Eu sei que eu tava bem sumida nos últimos tempos! Sorry guys! Aproveitei para tirar alguns dias de férias, e recuperar as energias depois das provas, e além disso começar alguns projetos incríveis que vem ai para esse próximo semestre! Mas ó voltei viu??? E com mil e uma ideias em mente! <3

Até mais ver terráqueos!

xoxo

                                                                                                🌸🌵✨

você também pode gostar

Comente via Facebook

Comentários via WordPress

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Bia Souza julho, 2017

    Amei o post, Kah! Especialmente o mini spoiler sobre ir pra NY! Aaaah, que lugar! Posso dizer que vivi meus melhores dias lá. ♥
    Beijos!!!

    • fofurasdakah julho, 2017

      Biaaa <3 que delícia ver você por aqui!
      Ainnn pois é, estou contando os dias!
      xoxo