Fofuras da Kah

Preparem-se esse talvez sera o post mais gordo e mais delícia que esse blog já viu! haha. Olha eu até poderia falar que não, mas tá ai duas coisas que eu amo de paixão: São Paulo e comer bem!  Então ok vai, vamos de Kah sincera,  toda a vez que eu subo a serra eu aproveito pra ir conhecer um restaurante e um bistrôlinho da minha lista de must haves (sim eu tenho uma senhora lista, que num é nem um pouco petit, com váaaaaarias casas culinárias que eu pre-ci-so conhecer). Eeee já que eu não sou egoísta, hoje vim compartilhar esses achados gastronômicos que a uébzera inteira deveria visitar!

Resultado de imagem para hi pokee sao paulo

 HI POKEE

Levanta a mãozinha, ou dá um alô aqui nos comentário quem ama a cozinha havaiana tanto quanto eu! Em uma das ruas mais babadeiras de Sampa, hey óoh Augusta, eu encontrei esse barzinho\bistrô havaiano super alternativo que tem o melhor Pokee ever! Pra quem ainda não se ligou no que é isso, ou ainda não tá sabendo da tendência, é uma variação desmontada de japa, aham isso ai.  Você monta o seu potinho  de sushi (pokee) do jeito que você quiser. Sério cara não tem coisa melhor! Minha aposta de todas as vezes que eu vou lá é: arroz dos japas, salmão, shimeji, tofu, cebolinha, castanha do pará, cream chease e o molho especial da casa + uma água de coco para acompanhar! Anotem ai que não tem erro! Ahh e detalhe, além de super escondidinho, ele fica em um corredor do lado direito sentido Oscar Freire á umas duas quadras da Paulista, o ambiente é uma delícia. Mas ó vale chegar cedo porque além de super concorrido, eles não fazem reserva não viu?

 R. Augusta, 2052 – Cerqueira César, São Paulo – SP, 01412-000

CONDIMENTO

Pra mim, uma formiga nata, é o paraíso na terra. Ok, vai lá eu tô de dieta e num a fase super fitness (pelo menos a gente tenta haha), mas pra quem não tá, sério galera aproveitem para se esbaldar nesse lugar! Além de lindo, sim o lugar é maravilhoso e sério parece muito uma daquelas casa de bonecas dos sonhos em tamanho real, eles tem o melhor bolo red velvet da história!  Muito obrigada Bru Vieira por nos mostrar que o final do arco-ires existe! haha (quem ai lembra de quando ela frequentava esse lugar?).

Rua Itapura, 1400 – Tatuapé, São Paulo – SP, 03310-000

BISTRO-Ó-CHÁ

Sinceridades a parte, até os meus 14 anos chá era a pior bebida da galáxia (vai entender rs).  Sempre fui mega ansiosa, então mamis vivia me dando chá de camomila. E acredito eu, como mera mortal, que o resultado foi eu odiando o bendito só de raiva! Maaas o tempo passou, meu gosto mudou, e agora chá é VIDA!! E falando de matte, tá ai o meu  bistrô favorito quando o assunto é esse. Além de ser uma casa de chá incrível, e simplesmente divina, o lugar é super mega aconchegante e tem o melhor brunch que São Paulo já viu! Minhas indicações por lá não mudam nunca: matcha, um cházim japonês mara, acompanhado por scones e o  Cheesecake do dia! Fica a dica!

R. Aspicuelta, 194 – Alto de Pinheiros, São Paulo – SP, 05433-010

LÁ DA VENDA

“Com cara de fazenda” acho que é a melhor frase para definir esse lugar. A comida é simples, não espere nada muito elaborado por lá, mas o que te ganha nesse lugar é o ambiente! Além de meigo é super calmo e bem good vibes! Por perto ainda tem várias lojinhas e ateliês que merecem ser conhecidos! Vale a pena dar uma chegadinha na venda! E se vocês  também quiserem minhas indicações desse tipo de lugar é só dar uma alô!
Rua Harmonia, 161 – Vila Madalena, São Paulo – SP, 05435-000

Até mais ver terráqueos!

xoxo

                                                                                                🌸🌵✨

Depois daquele último “eu entendo” foi como se o meu sinal de fumaça digital estivesse debaixo de uma chuvarada. Nada. Nenhuma mensagem. Meu WhatsApp estava oficialmente morto. Como pode um iconizinho verde ser movido por uma pessoa em questão? Minha conversa com as amigas? Nada. Os 14 grupos que faço parte? Silenciosos. As correntes que a vovó costumava me enviar toda manhã pontualmente na hora do café? Muito menos. Era quase como se eu tivesse sido banida da maior rede de comunicação da história, depois das cartinhas trocadas em sala de aula. Eu me sentida sobretudo, sozinha. No ônibus de volta para a casa depois de 6 horas na companhia de 40 jovens que disputariam comigo em poucos meses o meu futuro como engenheiria florestal, passei a observar a vida online das pessoas. Pessoas que of-line são tão sozinhas quanto eu no mundo digital, que como a lua, observo tudo o que está acontecendo “de fora” da Terra.
Um senhorzinho de 80 e poucos anos vestindo uma calça caqui, uma camisa xadrez e um gorro dos tempos em que nevou pela primeira e última vez em São paulo, estava com um iPhone aparentemente dois modelos mais novo que o meu, e pelo o que eu consegui enxergar algumas boas mensagens a mais do que eu. Como pode? Um homem com idade para ser meu avô ter uma vida online muito menos frustrada do que a minha. Oito filhos, onze netos, dezessete bisnetos e um tataraneto a caminho, só pode ser. Ou eu havia me tornado uma fantasma cibernética ou a garota de 19 e talvez algumas poucas mais primaveras havia desenterrado o cemitério todo. Sentada na minha frente ela digitava impacientemente como se estivesse a falar frenéticamente com força dos seus dedos tudo o que estava engasgado na garganta. Namorado, pressumi. Alguém escrito “Amor” na etiqueta de identificação não pode ser um mero crush da padaria, ninguém menos do que um parceiro de relacionamento, de vida, de discussão e aparentemente de whatsApp.
Será então que o tão queridinho zap zap é como uma partida de tênis? Precisa-se de dois para jogar? (ou melhor para digitar?). Encafufei com essa ideia e só fui deixa-lá de volta na caixolá quando a bateria do mobile se deu por fim. Afinal trocar mensagens com nós mesmos é nada mais nada menos do que pensar, certo? Deve ser….
Acordei na manhã seguinte com a ávida vontade de checar minhas notificações na tela principal do meu baby. Quatro comentários no face, três lembretes de prova, dois screenshots, um tweet, e nada, zero mensagens de texto. Eu estava aparentemete em uma ilha onde o meu sinal de fumaça fazia sinal para o nada. Ótimo. Agora solteira, singular e simples! Sem confusões de contatinhos, grupos ou mensagens de bom dia dos 5 grupos da familia. Eu estava finalmente livre. Até porque melhor morar no próprio coração e na própria rede de wi-fi do que morar de favor em corações e conversar alheias. E já que eu estava finalmente só, e já que estava passando por uma faze sem sinal, por que não aproveitar a vista da minha ilha privativa?

                                                                                                🌸🌵✨

 E quem diria que em menos de 6 meses  eu vou estar me mudando para Sampa e indo morar sozinha nessa galáxia?? Cara como assim??? E tenho que falar que não tô sabendo lidar com essa coisa de ter meu próprio apê! Simples assim, eu não tô haha.  A ideia de ter um lugar só meu que eu posso decorar do jeito que eu quiser é boa demais da conta! E tal do  “Pinterest” que resolveram inventar tá revolucionando minha vida – e a uéb- e me deixando simplesmente obcecada por decoração! É minha gente meu tão sonhado sonho de ter meu próprio cantinho no mundo tá prestes a se realizar (segura coraçãuum) e eu ando cada dia mais enfiando inspiração nas minhas pastinhas de pins!  haha

Então já que as coisas por aqui andam a mil por hora, resolvi compartilhar com vocês mais uma vez, os meus planos pra  esse apê que promete ficar beeeeem eu!

Primeiro ambiente: sala! Sou super adepta a cômodos integrados e por isso quero uma sala que além de confortável possa ser também um local de trabalho (afinal de contas eu trabalho em casa né?). Por isso quando eu penso na minha futura sala de estar, ahhh que delícia falar isso, penso em um lugar que seja inspirador, alternativo e ao mesmo tempo que seja agradável para receber minhas visitas! Sério se tem uma coisa que eu amo é receber visita em casa e por esse motivo que planejo uma sala alegre e visualmente bonita!

E falando em beleza pra mim casa bonita tem que ter planta! Eu cresci em uma casa com um quintal enorme, várias plantas mesmo no interior,  jardins de inverno espalhados por ai e floreiras suspensas. Basicamente em um matagal haha! Então se tem uma coisa que eu quero ter e muito em casa são verdinhas! Que na minha opinião além de deixar o ambiente alegre, deixa uma energia boa no ar!

Próximo ambiente: kitchen! Desde que me entendo por um ser humano evoluído que a cozinha é um dos meus lugares preferidos qualquer casa. Vamo lá: eu amo cozinhar sério! Inclusive uma das coisas que eu tenho mais curtido ultimamente tá sendo pensar todos os dias em um jantar alternativo para preparar de noite (amo). E pensando nisso, me vem uma cozinha super criativa e prática em mente!

Por último mais não menos importante: o escritório. De um tempo pra cá abandonei a rotina de ir trabalhar no blog na mesa da cozinha e passei a ficar na minha cama uma boa parte do meu dia. E mano vocês não fazem ideia como isso é péssimo! Além da dor nas costas que eu tenho tido ( hahaha socorro) não é um “ambiente” que me inspira sabe?? Por isso tô louca pra ter um escritóriozinho e uma home office super minha cara pra chamar de minha!

Ahh galera, e já que Pinterest e loja de móveis online viraram meus dois mais novos bffs, preparei uma listinha de must have pra vocês! haha vai que alguém ai se anima e aproveita pra redecorar a casa??

 

1- Cactos fofíneos // 2- Pendente de diamante // 3- Estante de canto  // 4- Cadeira Eiffel // 5- Almofada gatinho // 6- Cabriolet poltrona // 7- Luminária Cacto

Até mais ver terráqueos!

xoxo

                                                                                                🌸🌵✨

1 2 3 4 67